Projeto Mater – Surfistas percorrem 42 Quilômetros em Paddleboards

Por: Fábio Maradei 

Três surfistas, todos da Unipran, a Universidade da Prancha, do Centro Universitário Monte Serrat (Unimonte), realizam no dia 7 de dezembro de 2003, um desafio inédito na região. O professor Marcello Árias, Adriano de Oliveira o Teco, e o aluno Fernando Henrique Rhein vão dar a volta na Ilha de São Vicente, remando em pranchas de surf. Os três usarão as chamadas ‘paddleboards’, pranchas especiais de remada, com quatro metros de comprimento, e vão percorrer nada menos que 42 quilômetros, enfrentando trechos de mar, com ondas, rio, mangue e todo o canal do porto de Santos.

Batizado de Projeto Mater – Redescobrindo a Ilha de São Vicente, o desafio vai contar com a participação efetiva de profissionais de vários cursos superiores da Unimonte, prestando auxílio aos remadores, como nutrição, preparação física, área médica, além de uma equipe interdisciplinar, sobretudo do IOS – Instituto Oceanográfico de Santos e do curso de Oceanografia, visando a conscientização, um alerta sobre os problemas ambientais, culturais e sociais que sofrem as regiões que serão percorridas.

O evento faz parte das propostas da Unipran (Núcleo de Ensino, Pesquisa e Extensão dos Esportes com Prancha da Unimonte), criada em setembro de 2001, com os objetivos de resgatar a cultura dos esportes com prancha e desenvolvê-los no mundo acadêmico, produzindo cursos, pesquisas e atividades de extensão. “Há muito tempo estamos pensando em resgatar a modalidade do surf de remada. Ela faz parte da cultura desse esporte, com competições em mar aberto no Havaí, Califórnia, onde os remadores vencem grandes distâncias, usando somente a força dos próprios braços”, comenta Arias, coordenador da Unipran.

Durante todo o trajeto, os remadores serão acompanhados de perto por um barco de apoio, contando com nutricionista, médicos e preparador físico. Segundo o professor Flávio Ascânio, também coordenador da Unipran, o evento vai ser um marco importante para a região, uma vez que circundando a Ilha, os remadores passarão por inúmeros pontos de extrema importância ambiental e social.

Não é uma competição, nem um protesto. Queremos incentivar a qualidade de vida, uma tradição no surf, e ao mesmo tempo, conscientizar, com um trabalho acadêmico, sobre os riscos que a nossa região tem, principalmente na área ambiental. Por isso, estamos envolvendo o IOS e o curso de Oceanografia, que há muito tempo estão desenvolvendo valiosos levantamentos científicos da área”, ressalta. Os três remadores começam o desafio às 7 horas, em frente ao Aquário Municipal, na Ponta da Praia, indo em direção à Ilha Porchat. A previsão é que completem o percurso entre 10 e 12 horas.